ƒ૯ℓιcι∂α∂૯ รιмρℓ૯รм૯ηт૯ ૯xιรт૯!

รιм, รιм ૯ℓα cαηтα! ૯ℓα ηãσ รαb૯ тυ∂σ ∂α ѵι∂α ... мαร тυ∂σ qυ૯ ૯ℓα ѵιѵ૯ ૯ℓα รαb૯! ૯ℓα ηãσ ѵιѵ૯ ร૯мρર૯ ƒ૯ℓιz... мαร ѵιѵ૯ ร૯мρર૯ т૯ηтαη∂σ! ∂૯ρσιร ∂૯ тαηтσ รσƒર૯ર, cɦσરαર ૯ ∂૯รιรтιર, ૯ℓα ર૯รσℓѵ૯ ѵιѵ૯ર! ηα∂α αℓ૯м ∂૯ ρυરαм૯ηт૯,
รιмρℓ૯รм૯ηт૯ ѵιѵ૯ર... т૯м тυ∂σ ρરα ร૯ર ƒ૯ℓιz ૯ ર૯cσηɦ૯ς૯ qυ૯ т૯м!
ρσર qυ૯ мυιтαร cσιรαร ૯ℓα รαb૯ qυ૯ รό т૯м ηα "cαb૯ςα" ∂૯ℓα...

ρσιƨ ƒ૯ℓιcι∂α∂૯ ηãσ ร૯ ρ૯ηรα, η૯м ร૯ cરια, ร૯ ѵιѵ૯...
ƒ૯ℓιcι∂α∂૯ รιмρℓ૯รм૯ηт૯ ૯xιรт૯.
α g૯ηт૯ qυ૯ ηãσ รαb૯ ર૯cσηɦ૯c૯ર.

segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

Oi. Quer conversar?

Pensei seriamente em mudar o título do blog, ou esquecê-lo e fazer outro.

Me desculpe se você, se por acaso ler isso, achar esse monte de palavrinhas aqui um tanto quanto confusas. Estou apenas tirando um peso da mente, e isso não é algo muito organizado de se fazer.

É incrível como a gente muda com o passar do tempo, e minha visão de felicidade é uma das coisas que foi mudando aos poucos, mas que ainda insiste de alguma forma dentro do coração, num cantinho abandonado, que nem criança interior que todos os adultos vão pouco a pouco esquecendo e deixando morrer.

Estou atualmente com a vida abarrotada de coisas, que me fazem pensar que a minha tão almejada felicidade de criança é um tantinho diferente e mais difícil do que a de agora. Não que todos os meus sonhos tenham mudado, mas quando a gente cresce, tudo parece mais difícil. Crescer é difícil.

Pelo menos eu tenho um teclado novo, que é maciinho (que inclusive é uma palavra que nem sei ao certo se existe, mas sempre falei da forma como escrevi), e isso me animou a escrever um pouco.

Eu arranjei uma mania estranha esses dias. Toda vez que me sinto muito cheia de pensamentos, sensações e sentimentos acumulados, me sinto pesada e com vontade de tomar banho. Estranho mesmo, né? Mas aí sento no chão do banheiro, ligo o chuveiro e deixo a água caindo na cabeça. Parece uma forma de lavar coisas ruins que ficam fazendo festinha na minha cabeça, no meu corpo. Parece que eles saem de carreirinha enquanto eu falo sozinha, converso comigo mesma. Exponho meus fatos, meus atos, tudo.

E pensei que deveria escrever, talvez mudar esse título, que hoje até me irrita um pouco, sabe. Mas isso por que me parece difícil aceitar uma coisa como uma felicidade que "simplesmente existe". Não desminto, e nem discordo. Só não me sinto bem o bastante para simplesmente aceitar isso. E acho que aceitar não é bem a palavra certa. Não me sinto bem o suficiente para encarar isso.

É difícil morar sozinha também. A princípio é bom, e sempre digo isso a quem me pergunta. Mas estou morando sozinha há dois anos, e agora isso aqui parece um cantinho solitário e vazio demais para mim. Às vezes tudo o que eu queria era chegar em casa e ter alguém me esperando, poder fazer algo não só para mim, mas para alguém. Um exemplo disso é cozinhar. Já vi muitas pessoas concordando com o simples fato de que não tem graça cozinhar para você mesmo.

Ouvi dizer que quanto mais as coisas mudam, mas elas continuam as mesmas.Sempre dizia algo tipo "algumas coisas nunca mudam" quando viajava de volta pra cidade dos meus pais, e só agora percebo a profundidade dessa frase. O tempo passa, as coisas mudam, e essas mesmas coisas continuam as mesmas mesmo que tenham mudado. Parece non-sense e estranho dizer isso, mas como eu disse, é só minha forma de organizar minha memória.

Talvez eu faça mesmo um blog com esse nome do título. Talvez.